EFEITO ESTUFA

 

 O QUE É?

Nome: Marnen

Turma: EMR-manhã

Nome:Louise S.

Turma: EMR-manhã

 

O que é efeito estufa e quais são suas consequências?

             

    O efeito estufa é um fenômeno causado por gases (principalmente gás carbônico, cloro flúor carboneto, metano e óxido nitroso) que estão presentes na atmosfera desde a formação da Terra, há cerca de 4 bilhões de anos. São eles os responsáveis por absorver a radiação infravermelha vinda da Terra e permitir que a temperatura na superfície fique na média de 15 °C (veja o infográfico ao lado). Sem esses gases, a vida só seria viável para micróbios em regiões aquecidas por fontes geotermais.

http://revistaescola.abril.com.br/geografia/fundamentos/quais-consequencias-boas-efeito-estufa-488078.shtml

28/06/2012
15:19
Nome:Alana Marins Viana

 

Efeito Estufa


                                       

O Efeito Estufa é a forma que a Terra tem para manter sua temperatura constante. A atmosfera é altamente transparente à luz solar, porém cerca de 35% da radiação que recebemos vai ser refletida de novo para o espaço, ficando os outros 65% retidos na Terra. Isto deve-se principalmente ao efeito sobre os raios infravermelhos de gases como o Dióxido de Carbono, Metano, Óxidos de Azoto e Ozônio presentes na atmosfera (totalizando menos de 1% desta), que vão reter esta radiação na Terra, permitindo-nos assistir ao efeito calorífico dos mesmos. 

Nos últimos anos, a concentração de dióxido de carbono na atmosfera tem aumentado cerca de 0,4% anualmente; este aumento se deve à utilização de petróleo, gás e carvão e à destruição das florestas tropicais. A concentração de outros gases que contribuem para o Efeito de Estufa, tais como o metano e os clorofluorcarbonetos também aumentaram rapidamente. O efeito conjunto de tais substâncias pode vir a causar um aumento da temperatura global (Aquecimento Global) estimado entre 2 e 6 ºC nos próximos 100 anos. Um aquecimento desta ordem de grandeza não só irá alterar os climas em nível mundial como também irá aumentar o nível médio das águas do mar em, pelo menos, 30 cm, o que poderá interferir na vida de milhões de pessoas habitando as áreas costeiras mais baixas. 
Se a terra não fosse coberta por um manto de ar, a atmosfera, seria demasiado fria para a vida. As condições seriam hostis à vida, a qual de tão frágil que é, bastaria uma pequena diferença nas condições iniciais da sua formação, para que nós não pudessemos estar aqui discutindo-a. 

                          





O Efeito Estufa consiste, basicamente, na ação do dióxido de carbono e outros gases sobre os raios infravermelhos refletidos pela superfície da terra, reenviando-os para ela, mantendo assim uma temperatura estável no planeta. Ao irradiarem a Terra, parte dos raios luminosos oriundos do Sol são absorvidos e transformados em calor, outros são refletidos para o espaço, mas só parte destes chega a deixar a Terra, em consequência da ação refletora que os chamados "Gases de Efeito Estufa" (dióxido de carbono, metano, clorofluorcarbonetos- CFCs- e óxidos de azoto) têm sobre tal radiação reenviando-a para a superfície terrestre na forma de raios infravermelhos. 

 

                         

Desde a época pré-histórica que o dióxido de carbono tem tido um papel determinante na regulação da temperatura global do planeta. Com o aumento da utilização de combustíveis fósseis (Carvão, Petróleo e Gás Natural) a concentração de dióxido de carbono na atmosfera duplicou nos últimos cem anos. Neste ritmo e com o abatimento massivo de florestas que se tem praticado (é nas plantas que o dióxido de carbono, através da fotossíntese, forma oxigênio e carbono, que é utilizado pela própria planta) o dióxido de carbono começará a proliferar levando, muito certamente, a um aumento da temperatura global, o que, mesmo tratando-se de poucos graus, levaria ao degelo das calotas polares e a grandes alterações a nível topográfico e ecológico do planeta. 

 


Poluentes Atmosféricos

 

   

 

 

Fonte: http://educar.sc.usp.br/licenciatura/2003/ee/Efeito_Estufa.html

Nome: Gabriela Santos.

Nome:Ana Paula

Turma:EMR-manhã

 

Efeito Estufa

 

1. INTRODUÇÃO

A emissão e acumulação de gases como o dióxido de carbono na atmosfera, é conhecida mundialmente como efeito estufa, ou de uma maneira mais simplificada como o aquecimento da terra pela emissão excessiva de gases poluentes.
Entre as principais causas do efeito estufa estão: a queima de combustíveis fósseis (tanto a nível industrial como urbano); a devastação e queima de áreas florestais como a floresta Amazônica; a associação destes e outros processos. Sendo assim, existem muitas controvérsias e muitas teorias sobre este assunto, onde algumas entidades ecológicas intitulam as queimadas da Amazônia como um dos principais causadores do efeito estufa.
Sendo assim o presente trabalho pretende demonstrar de maneira sucinta as diferentes interpretações sobre as causas e consequências das queimadas na Amazônia sobre o efeito estufa.

2. CONSIDERAÇÕES GERAIS

O clima da Terra e um produto de interações complexas da atmosfera, oceanos, calotas glaciais, seres vivos e até mesmo rochas e sedimentos. Quando o sistema climático esta em equilíbrio como estava antes da Revolução Industrial, que gerou um grande aumento das emissões de gases-estufa, a radiação solar absorvida encontrava-se em equilíbrio perfeito em relação à radiação emitida para o espaço pela Terra e atmosfera. Os fatores que alteram este equilíbrio mudando o clima são chamados de agentes de coerção radioativa, entre estes agentes estão os gases-estufa.
Segundo LEGGET (1992), gases-estufa são aqueles que provocam a retenção da radiação infravermelha na atmosfera, aquecendo assim a superfície da Terra e camada inferior da atmosfera (Figura 01). Traços destes gases têm estado na atmosfera durante a maior parte da história da terra. O vapor d’água, por sua abundância, é de longe o mais importante gás natural causador do efeito estufa. O dióxido de carbono (CO2), o segundo gás-estufa em importância, é lançado na atmosfera de maneira tanto natural quanto não natural. Vem sendo lançado de maneira natural pelos vulcões ao longo da história da Terra, percorrendo os vários ciclos que o carbono segue na natureza. Se não fosse a presença do CO2 a temperatura na superfície da Terra seria cerca de 33 oC mais baixa do que é hoje (tornando-se nociva a vida). Mas o CO2 também entra na atmosfera de forma não natural em decorrência de atividades humanas habituais, principalmente queima de combustíveis fósseis e destruição das florestas. Além do CO2, existem outros gases que são de extrema importância no contexto do efeito estufa.

2. PRINCIPAIS GASES-ESTUFA DA ATMOSFERA

2.1 Vapor d’água

Segundo TUBELIS & NASCIMENTO (1986), as fontes naturais do vapor d’água são as superfícies de água, gelo e neve, a superfície do solo, as superfícies vegetais e animais. A passagem para a fase de vapor é realizada pelos processos físicos de evaporação e sublimação, e pela transpiração. 
Segundo OMETTO (1981), o vapor d’água é um dos dos constituintes variáveis do ar atmosférico, chegando a ter até 4% em volume. TUBELIS & NASCIMENTO (1986), citam que este volume e extremamente variável e que esta variabilidade provém da extrema facilidade com que consegue mudar de fase, nas condições atmosféricas reinantes. Essas mudanças de fase são acompanhadas por liberação ou absorção de calor latente, que associadas com o transporte de vapor d’água pela circulação atmosférica, atuam na distribuição do calor sobre o globo terrestre.
Por apresentar estas características o vapor d’água é considerado o mais importante gás-estufa, além disso, com a ação do efeito estufa a atmosfera se tornará mais quente contendo uma quantidade maior de vapor d’água em decorrência de índices mais altos de evaporação.

2.2 Dióxido de Carbono (CO2 )

As principais reservas de carbono da natureza são a biota, o solo e os oceanos. A biota que consiste em toda vida sobre a superfície da Terra, dominada em termos de volume, pela vida vegetal, absorve cerca de 102 Gt (Gigatonelada = 1 bilhão de toneladas), de carbono por ano do CO2 liberado durante a fotossíntese, isto representa cerca de 14% do teor total de CO2 da atmosfera. Em contrapartida a biota devolve anualmente cerca de 30 Gt de carbono à atmosfera. A decomposição bacteriana de matéria vegetal morta, acrescenta mais 50 Gt de carbono ao CO2 devolvido à atmosfera. Há portanto certo equilíbrio no carbono trocado entre a biota terrrestre e a atmosfera, sendo retidas por ano talvez 2 Gt de carbono na biota terrestre. 
Nos oceanos o CO2, também é absorvido da atmosfera, em decorrência de processos tanto químicos como biológicos. O dióxido de carbono é recebido em solução sob a forma de íons de bicarbonato de, enquanto os fitoplânctons são sorvedores de dióxido de carbono em decorrência da fotossíntese. Um total de 92 Gt de carbono por ano é absorvido da atmosfera desta maneira. Das águas superficiais, perto de 90 Gt de carbono são devolvidas à atmosfera a cada ano. Por processos físicos e biológicos: liberação de dióxido de carbono diretamente das águas marinhas por difusão em decorrência da respiração dos fitoplânctons, ficando cerca de 2 Gt retidas anualmente nos oceanos. 
Sendo assim, sem interferência humana, o carbono na natureza estaria em equilíbrio, sendo que o excedente de carbono que fica armazenado voltaria a natureza pela ação dos vulcões. Entretanto a ação do homem, desequilibra este ciclo, desde a revolução industrial.
A queima de combustíveis fósseis (carvão, petróleo e gás), gera anualmente mais de 5,7 Gt de carbono na atmosfera, a estas devem ser acrescidas mais 2 Gt, provenientes da queima e derrubada de florestas. Este carbono mais o captado pelos oceanos e pela biota, resultam em um aumento líquido de 3 Gt de carbono por ano na atmosfera. Em outras palavras, desde 1860 os seres humanos lançaram cerca de 175 Gt de carbono na atmosfera. 
Extrapolando estes números para 200 anos, a contar do início da era industrial, o homem poderá lançar mais carbono na atmosfera do que já existe atualmente na massa total de seres vivos do planeta. Além disso, devem ser consideradas as reservas de petróleo e carvão que se foram totalmente exploradas pelo homem aumentaram em 2.000 Gt o carbono da atmosfera, mais do triplo do que existe atualmente na atmosfera. 
Quanto aos efeitos disto sobre a temperatura da Terra é impossível precisar o que acontecerá, pois deve ser considerado que além dos combustíveis fósseis existem as retroalimetanções para o sistema climático.

2.3 Metano (CH4)



O metano é o segundo gás-estufa em importância, produzido durante a decomposição anaeróbica. As principais fontes de metano são arrozais, pântanos, animais domésticos ou não, cupins, gás natural e outros meios anaeróbicos. A taxa de metano na atmosfera aumenta 1% ao não, sendo pouco conhecidas as causas deste aumento. Algumas delas podem ser o aumento dos rebanhos domésticos, a expansão de cultura de arroz e principalmente os vazamentos de gás natural ou aterros. A permanência do metano na atmosfera e pequena (menos de 10 anos), sendo consumido na atmosfera e em menor escala no solo. O metano tem um potencial de aquecimento global de 63 num período de 20 anos, ou seja, 1 Kg de metano nesse período produzirá 63 vezes o aquecimento global de 1 Kg de dióxido de carbono, portanto o metano e 20 vezes mais potente que o dióxido de carbono.

2.3 Óxido Nitroso

 

Como gás-estufa o óxido nitroso é ainda mais potente que o metano, e sua eficácia é cerca de 230 vezes superior à do CO2. O óxido nitroso é produzido nos solos, acredita-se virem dos solos 90% das emissões de N2O. É grande a possibilidade de o N2O concorrer para o aquecimento global, por ser um absorvente eficaz de radiação infravermelha e permanecer muito tempo na atmosfera. O principal meio de dissipação deste óxido é a luz ultra violeta estratosférica, que o destroi, porém essa dissipação e bastante lenta podendo demorar até 150 anos. De maneira geral pouco se sabe sobre a quantidade real de N2O que existe e quais seriam seus efeitos sobre o aquecimento do planeta.

3. EFEITOS DO DESMATAMENTO SOBRE O EFEITO ESTUFA

 

3.1 Considerações gerais sobre a região Amazônica

 

A região Norte do Brasil é composta pelos estados do Amazonas, Acre, Rondônia, Roraima, Pará e Amapá. Esta região ocupa uma área de 3.858.502 Km2, ou seja 45,33% da área total do Brasil e nela concentra-se a floresta amazônica dona de uma das maiores diversidade biológicas do planeta. Paralelamente a toda esta grandeza territorial e riqueza natural, nestes estados encontra-se uma das populações mais pobres do Brasil, que historicamente convivem com a floresta, sendo o fogo um dos seus principais aliados para sobrepor a floresta quando isto se faz necessário. Portanto as queimadas na Amazônia, tem grande importância na limpeza de áreas para a agricultura de subsistência da região, fazendo parte da cultura do povo desta região. 
Entretanto nos últimos anos a Amazônia passou a ser considerada internacionalmente como a campeã mundial de queimadas, o que evidentemente não é ocasionado pela agricultura de subsistência, mas sim por outras atividades que passar a fazer parte do dai a dia desta região. Além disso, deve ser lembrado que no Brasil existem outras regiões onde a queima e praticada, comprovando que as queimadas não são uma exclusividade da região Amazônica.

3.1 Análise do efeito das queimadas em florestas tropicais, pelo grupo ecológico GREENPEACE

 

Dos 8.511.960 Km2 do Brasil, quase 2,9 milhões eram cobertos pela floresta Amazônica até o final da década de 60. Hoje, a extensão florestal do país foi reduzida a cerca de 2.200.000 Km2. Mesmo com essa redução, o Brasil ainda é o responsável por 27,5% de todas as florestas tropicais do mundo. 
O padrão de desmatamento da Amazônia brasileira é bastante diferenciado. Alguns trechos estão perdendo rapidamente sua cobertura florestal, enquanto outros continuam praticamente intocados, o caso de desmatamento mais progressivo ocorreu no estado de Rondônia, que em 1980 tinha 8.000 km2 de área desmatada, passando a 60.000 km2 em 1987. De maneira geral a Amazônia teve seu desmatamento acentuado a partir de 1980. Em 1975 foi estimado que 29.000 km2 tinham sido desmatados, passando para 125.000 km2 em 1980 e 400.000 km2 em 1988, ou seja 69% dos desmatamento ocorreu a partir de 1980.
O desmatamento leva a liberação de grandes quantidades de carbono proveniente da biomassa na atmosfera da terra, onde se transforma no dióxido de carbono, que é o gás responsável por quase metade de efeito estufa. Além disso, são liberadas grandes quantidades de outros gases causadores do efeito estufa como o metano e o óxido nitroso.
A atual liberação de carbono proveniente de qualquer tipo de floresta tropical deve ser comparada ao total de emissões de carbono provenientes da queima de combustíveis fósseis no mundo inteiro (principalmente nos países menos desenvolvidos), estimadas em 5,6 bilhões de toneladas métricas em 1989. Portanto, as florestas tropicais são responsáveis por 30% da concentração de dióxido de carbono na atmosfera global, concentração que por sua vez é responsável por metade do aquecimento global. Quando acrescentamos outros gases-estufa emitidos pelo desmatamento das florestas tropicais, o metano e o óxido nitroso, a contribuição geral do desmatamento das florestas para o aquecimento global pode ser estimada em cerca de 18 a 19%, talvez mais. Além disso, a contribuição dos desmatamentos para a concentração de CO2,, parece estar crescendo mais do que a dos combustíveis fósseis. Extrapolando essa tendência, no início do próximo século as florestas tropicais poderiam alcançar um pico de 5 bilhões de toneladas métricas de dióxido de carbono, diminuindo a partir dai, pois não haveria mais florestas para serem destruídas.
Deste total de dióxido de carbono, liberado na atmosfera pela queima das florestas tropicais, atualmente a floresta Amazônica representa 32,1% ou seja o maior percentual entre todas as florestas tropicais do mundo.

3.2 Comparação entre a análise das queimadas na Amazônia, segundo a visão do GREENPEACE e do autor KIRCHHOFF

 

O autor em questão, como os pesquisadores que escreveram o relatório do GREENPEACE sobre aquecimento global também consideram as queimadas como produtoras de CO2,, causando enormes prejuízos às plantas e animais da região, fato que futuramente pode vir a comprometer a composição e a qualidade da atmosfera, contribuindo também para o efeito estufa. Porém os números dados por este autor são menos alarmantes que os do GREENPEACE. Enquanto o GREENPEACE, garante que as queimadas na região tropical representam 30% do dióxido de carbono lançado anualmente na atmosfera. KIRCHHOFF afirma que as queimadas em todo mundo representam 25% do CO2 produzido por todas as fontes de produção, sendo as queimadas da região tropical reponsáveis por apenas 11,2%, deste total de combustíveis.
Segundo o GREENPEACE, a percentagem de 30% do CO2, produzido pelas florestas tropicais representa metade do aquecimento global, enquanto que para o outro autor as queimadas contribuem de maneira global para o efeito estufa, porém não de forma expressiva. 
Para KIRCHHOFF, a região da Amazônia não é o principal responsável pelo processo de emissão de gases para a atmosfera, alertando para que a legislação brasileira proíba as queimadas, além de reduzir a queima de combustíveis fósseis. Porém, para o GREENPEACE, a floresta amazônica representa 32,1% das queimadas na região tropical e consequentemente um terço do dióxido de carbono lançado na atmosfera anualmente.

4. CONCLUSÃO

 

Se analisarmos a emissão de gases na atmosfera, como uma consequência para o aquecimento da Terra, encontraremos evidências cientificas que comprovarão este fenômeno, bem como são indiscutíveis as evidências de que as queimadas emitem um grande número de gases que passam a funcionar na atmosfera como gases-estufa. Porém, na maioria dos casos a maior parte das informações que tentam prever as consequências do efeito estufa, são baseadas em teorias que ainda precisam ser comprovadas.
Este fato é admitido inclusive no relatório do grupo GREENPEACE, que ao tentar demonstrar que a Terra esta tendo um aquecimento acelerado e que uma das causas deste aquecimento são as queimadas admite, em muitos momentos que pouco se sabe sobre as reais consequências do efeito estufa. Além disso, deve ser considerado que a emissão de CO2 na verdade e muito mais intensa e constante nas áreas urbanas do que em regiões como a Amazônia. Isto deve-se ao fato de que nas zonas urbanas as indústrias e a circulação de automoveis tem um ritmo acelerado e constante, ao passo que as queimadas antes de tudo estão relacionadas ao clima .

http://www.floresta.ufpr.br/~lpf/efeitoestufa.html

 

 

O que é efeito estufa?



- A queima de combustíveis fósseis, além de outras atividades diretas como o desmatamento, emite grandes quantidades de gases, em especial o dióxido de carbono (CO2), na atmosfera. A cada ano, estas emissões adicionam ao carbono já presente na atmosfera mais 7 bilhões de toneladas de CO2 que nela podem permanecer por um período superior a cem anos.

- O dióxido de carbono é um bom observador da radiação terrestre. Se ocorrer um aumento de CO2, ele agirá como um cobertor na superfície terrestre, mantendo a terra aquecida. Com o aumento da temperatura, a quantidade de vapor de água na atmosfera também aumentará, provocando o mesmo efeito do cobertor.
- O dióxido de carbono é liberado quando ocorre a queima de carvão, óleo e gás e também quando as florestas são destruídas. As plantas verdes absorvem CO2, durante a fotossíntese. Atualmente, tem sido liberada uma quantidade de CO2 maior que a capacidade de absorção das árvores e plantas.

- O aumento da quantidade de CO2 que se acumula na atmosfera, bloqueando a saída da radiação quente para o espaço e mandando de volta esta radiação aquecida, causa o chamado efeito estufa. Emissões de metano, óxido de nitrogênio e os clorofluorcarbonetos (CFCs) contribuem também para o efeito estufa.
 

O efeito estufa
 

Concentração natural de gases na atmosfera



A situação atual
- os raios solares penetram a atmosfera da terra, aquecendo sua superfície, que reflete o calor de volta para a atmosfera e para o espaço.

Aumento na concentração Natural de gases na atmosfera

Perigo Futuro
- a combustão de carvão, óleo e gás aumenta a quantidade de dióxido de carbono (CO2) e outros gases na atmosfera. Estas reduzem a radiação de calor para o espaço, aquecendo a Terra.

Radiação do Sol

Radiação de Calor



O que é seqüestro de carbono?



- O conceito de seqüestro de carbono foi consagrado pela Conferência de Kyoto, em 1997, com o objetivo principal de conter e reverter o acúmulo de CO2 na atmosfera, lutando pela redução do efeito estufa.

- Normalmente, envolve a idéia de conservação de estoques de carbono nos solos, nas florestas e em outros tipos de vegetações, preservando áreas florestais, estabelecendo novas plantações florestais e sistemas agro florestais, e de recuperação de florestas degradadas.

- A utilização de fontes de energia não poluentes é outra forma válida de reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa, mas não tem sido considerada especificamente dentro do conceito de seqüestro de carbono.

 

Nome:Julio Cesar

http://www.fiec.org.br/artigos/energia/efeito_estufa.htm

 

 

Aumento do efeito estufa

 

          Parte da radiação solar que chega à Terra é refletida pelas nuvens e pela superfície terrestre e parte é absorvida. Da energia absorvida pela superfície, uma parcela é irradiada na forma de calor (radiação infravermelha) para a atmosfera. As nuvens e certos gases atmosféricos como o vapor d’água, o dióxido de carbono (CO2 ), o metano (CH4) e o dióxido de nitrogênio (NO2), irradiam de volta essa radiação infravermelha para a superfície terrestre, aquecendo-a.

            Esse fenômeno natural, denominado efeito estufa, tem sido fundamental para manter a superfície terrestre aquecida, impedindo a perda rápida de calor para o espaço. Graças a ele, a Terra tem se mantido com uma temperatura média compatível com as formas de vida aqui existentes. Muitos cientistas, no entanto, acreditam que está ocorrendo uma intensificação do efeito estufa em razão da interferência humana e que, nos próximos anos, a temperatura média na superfície terrestre sofrerá uma elevação significativa.

          Um dos responsáveis pelo aumento do efeito estufa é o gás carbônico, cuja quantidade na atmosfera vem aumentando significativamente desde a Revolução Industrial, quando a humanidade passou a empregar a queima de combustíveis fósseis (carvão mineral e petróleo) em larga escala para produzir energia.

           Embora sem estimativas precisas, sabe-se que a quantidade de metano (CH4) presente na atmosfera também vem crescendo. Esse gás resulta da decomposição de matéria orgânica e sua concentração na atmosfera aumenta proporcionalmente ao crescimento da população. Isso ocorre por causa da maior produção de lixo e esgotos e do aumento das áreas de terrenos alagados, onde se cultiva arroz e há grande decomposição de matéria orgânica. Outras fontes emissoras de metano são os rebanhos de gado bovino e caprino. Esses animais ruminantes fermentam o alimento em seus tubos digestórios, produzindo e eliminando gás metano (CH4), que se incorpora à atmosfera e acentua o efeito estufa.

          Durante o século XX, a temperatura global da superfície terrestre aumentou mais de 0,6 °C e, de acordo com estudos da ONU, o planeta poderá estar 2°C mais quente até o ano 2100. Já existem registros de aumento no degelo das calotas polares, cidades costeiras inundadas e grandes alterações climáticas. Alguns cientistas criticam as estimativas da ONU, achando-as conservadoras, e acreditam que se os gases responsáveis pelo efeito estufa continuarem a se acumular na atmosfera poderemos esperar uma elevação de até 4°C na temperatura média mundial, nos próximos cinquenta anos.

 

Bibliografia:

  •        Apostila GRUPO SANTILLANA UNO Sistema de Ensino – BIOLOGIA : A BIOSFERA E SEUS ECOSSISTEMAS.
  •        Autores: José Mariano Amabis e Gilberto Rodrigues Martho.
  •        Aluna: Ana Carolina de Oliveira Martins.
  •        Turma: Manhã.

 

 

 

Efeito estufa: bom ou mal?

 

A atmosfera terrestre é quase totalmente transparente á radiacão que vem do Sol. Uma pequena parte dessa radiação é refletida de volta ao espaço, mas a parte dela chega á Terra, onde é absorvida e depois reemitida em todas as direções na forma de radiação térmica ou calor (radiação infravermelha).

No entanto, alguns gases presente na atmosfera, como gás carbonico (CO2),vapor dágua (H2O) e o metano (CH4) absorvem essa radiação térmica, retendo o calor na atmosfera. Como conseqüência, o ar fica mais quente do que ficaria se esses gases não estivessem presentes.

Esse fenômeno é chamado efeito estufa e esses gases são conhecidos como gases estufa.

Não é por acaso que esse nome é o mesmo das estufas de plantas: nelas ocorre o mesmo fenômeno.

O vidro ou o material transparente no interior do qual as plantas ficam tem o mesmo papel que a nossa atmosfera: deixam a luz do Sol entrar e barram a radiação infravermelha, o calor, mantendo as plantas num ambiente aquecido.

Atmosfera é uma fina camada que envolve alguns planetas, composta basicamente por gases e poeira, retidos pela ação da força da gravidade.

 

O lado bom do efeito estufa

 

É graças ao efeito estufa que a Terra se mantém em condições adequadas á manutenção da vida. Se ele não existisse, nosso planeta teria uma temperatura média de 20º C abaixo de zero, ou seja, os oceanos seriam blocos de gelo e nós todos estaríamos congelados.

Bem mas então por que o efeito estufa tem sido considerado um "vilão" em nosso ambiente? Na verdade, o problema que preocupa tanta gente nos dias atuais é a intensificação do efeito Estufa.

 

O lado ruim do efeito estufa

 

Se a quatidade de gases estufa na atmosfera aumenta significativamente, o calor retido na Terra cresce também, elevando a temperatura média do planeta, o que poderia ocasionar graves problemas como: o degelo das calotas polares e o o conseqüente aumento no nivel dos oceanos, inundando regiões baixas, além de mudanças climáticas que poderiam colocar em risco a vida de plantas e animais.

 

Principais causas da  efeito estufa

 

Industrialização

 

O crescente aumento de indústrias, usinas termelétricas e outras formas de queimar combustiveis liberam cada vez mais gases na atmosfera, especialmente o CO2, contribuindo para a intensificação do efeito estufa.

 

Desmatamentos e queimadas

 

Os desmatamentos e as queimadas também interferem, pois as plantas retiram mais CO2 do ar do que devolvem a ele. Com as queimadas, mais CO2 é produzido. O aumento da concentração desse e de outros gases estufa na atmosfera tem sido verificado nas últimas décadas.

 

Polêmica

 

Mas ainda é polêmica a confirmação de inteferência de fato do efeito estufa sobre o aumento da temperatura global. Pois são muitos, mas muitos mesmo, os fatores que interferem na temperatura de cada região do planeta e, portanto, na sua temperatura média. E, apesar de se ter verificado um aumento de cerca de 0,5º C na temperatura média da Terra (que apesar de parecer pouco, não é ), não se chegou a uma conclusão definitiva sobre se esse aumento é ou não devido ao efeito estufa. Entretanto, na dúvida, todas as iniciativas para se reduzir o problema só podem contribuir para nosso ambiente.

http://www.klickescolas.com.br

Maycon Marins Ricardo da silva

 

Efeito Estufa

Poluição do ar, poluição ambiental, meio ambiente, o que é o efeito estufa e suas conseqüências 

para o meio ambiente, poluição do ar, queima de combustíveis fósseis

 

Introdução 

O efeito estufa tem colaborado com o  aumento da temperatura no globo terrestre nas últimas décadas. Pesquisas recentes indicaram que o século XX foi o mais quente dos últimos 500 anos. Pesquisadores do clima afirmam que, num futuro próximo, o aumento da temperatura provocado pelo efeito estufa poderá ocasionar o derretimento das calotas polares e o aumento do nível dos mares. Como conseqüência, muitas cidades litorâneas poderão desaparecer do mapa.

Como é gerado 

O efeito estufa é gerado pela derrubada de florestas e pela queimada das mesmas, pois são elas que regulam a temperatura, os ventos e o nível de chuvas em diversas regiões. Como as florestas estão diminuindo no mundo, a temperatura terrestre tem aumentado na mesma proporção.

Um outro fator que está gerando o efeito estufa é o lançamento de gases poluentes na atmosfera, principalmente os que resultam da queima de combustíveis fósseis. A queima do óleo diesel e da gasolina nos grandes centros urbanos tem colaborado para o efeito estufa. O dióxido de carbono (gás carbônico) e o monóxido de carbono ficam concentrados em determinadas regiões da atmosfera formando uma camada que bloqueia a dissipação do calor. Outros gases que contribuem para este processo são:  gás metano, óxido nitroso e óxidos de nitrogênio. Esta camada de poluentes, tão visível nas grandes cidades, funciona como um isolante térmico do planeta Terra. O calor fica retido nas camadas mais baixas da atmosfera trazendo graves problemas ao planeta.

Problemas futuros 

Pesquisadores do meio ambiente já estão prevendo os problemas futuros que poderão atingir nosso planeta caso esta situação persista. Muitos ecossistemas poderão ser atingidos e espécies vegetais e animais poderão ser extintos. Derretimento de geleiras e alagamento de ilhas e regiões litorâneas. Tufões, furacões, maremotos e enchentes poderão ocorrer com mais intensidade. Estas alterações climáticas poderão influenciar negativamente na produção agrícola de vários países, reduzindo a quantidade de alimentos em nosso planeta. A elevação da temperatura nos mares poderia ocasionar o desvio de curso de correntes marítimas, ocasionando a extinção de vários animais marinhos e diminuir a quantidade de peixes nos mares.

Soluções e medidas tomadas contra o efeito estufa 

Preocupados com estes problemas, organismos internacionais, ONGs (Organizações Não Governamentais) e governos de diversos países já estão tomando medidas para reduzir a poluição ambiental e a emissão de gases na atmosfera. O Protocolo de Kyoto, assinado em 1997, prevê a redução de gases poluentes para os próximos anos. Porém, países como os Estados Unidos tem dificultado o avanço destes acordos. Os EUA alegam que a redução da emissão de gases poluentes poderia dificultar o avanço das indústrias no país. 

Em dezembro de 2007, outro evento importante aconteceu na cidade de Bali. Representantes de centenas de países começaram a definir medidas para a redução da emissão de gases poluentes. São medidas que deverão ser tomadas pelos países após 2012.

http://www.suapesquisa.com/efeitoestufa/

 

dia 19 06 2012

 

hora:20:12

 

Nome:Welerson Temoteo

 

 

O que é Efeito Estufa:



Efeito estufa é um fenômeno natural de aquecimento térmico da Terra, é essencial para manter a temperatura do planeta em condições ideais de sobrevivência, e sem ele, a Terra seria muito fria, dificultando o desenvolvimento das espécies.
O efeito estufa ocorre quando os raios provenientes do Sol, ao serem emitidos à Terra, têm dois destinos, uma parte deles é absorvida, e transformada em calor, para manter o planeta quente, e a outra é refletida e direcionada ao espaço, como radiação infravermelha. Mais da metade da radiação fica retida na superfície do planeta por causa da ação refletora de uma camada de gases que a Terra tem, os gases estufa, que agem como isolantes por absorver uma parte da energia irradiada e são capazes de reter o calor do sol na atmosfera, formando uma espécie de cobertor em torno do planeta, impedindo que ele escape de volta para o espaço.
Nas ultimas décadas, contudo, a concentração desses gases isolantes tem sido aumentada demasiadamente pela ação do homem, através da queima de combustíveis fósseis, do desmatamento e da ação das indústrias, aumentando a poluição do ar. Esse excesso de camada está fazendo que parte desses raios não consiga voltar para o espaço, provocando uma elevação na temperatura de todo o planeta, o aquecimento global, por isso, o nome estufa é usado para descrevê-lo.
Em 1997, visando diminuir as emissões dos gases, a Organização das Nações Unidas (ONU) convocou vários países para assinarem um tratado chamado Protocolo de Kyoto, que determina que os países industrializados diminuam suas emissões de gases poluentes a um nível 5,2% menor que a média de 1990. Os Estados Unidos, um dos países que mais contribui para esses danos ambientais, ainda não assinaram o documento.
O Brasil está em 4 lugar no ranking dos países que mais emitem gases de efeito estufa na atmosfera, a maior parte por conta dos desmatamentos.

 http://www.significados.com.br/efeito-estufa/Solicitações

nome :alex menezes dos santos

 

Efeito Estufa

 

 

Efeito estufa provoca o aquecimento do planeta.

 

Do total de raios solares que atingem o planeta, quase 50% ficam retidos na atmosfera; o restante, que alcança a superfície terrestre, aquece e irradia calor. Esse processo é chamado de efeito estufa.

Apesar de o efeito estufa ser figurado como algo ruim, é um evento natural que favorece a proliferação da vida no planeta Terra. O efeito estufa tem como finalidade impedir que a Terra esfrie demais, pois se a Terra tivesse a temperatura muito baixa, certamente não teríamos tantas variedades de vida. Contudo, recentemente, estudos realizados por pesquisadores e cientistas, principalmente no século XX, têm indicado que as ações antrópicas (ações do homem) têm agravado esse processo por meio de emissão de gases na atmosfera, especialmente o CO2.

O dióxido de carbono (CO2) é produzido a partir da queima de combustíveis fósseis usados em veículos automotores movidos à gasolina e óleo diesel. Esse não é o único agente que contribui para emissão de gases, existem outros como as queimadas em florestas, pastagens e lavouras após a colheita.

Com o intenso crescimento da emissão de gases e também de poeira que vão para a atmosfera, certamente a temperatura do ar terá um aumento de aproximadamente 2ºC em médio prazo. Caso não haja um retrocesso na emissão de gases, esse fenômeno ocasionará uma infinidade de modificações no espaço natural e, automaticamente, na vida do homem. Dentre muitas, as principais são:

• Mudanças climáticas drásticas, onde lugares de temperaturas extremamente frias sofrem elevações e áreas úmidas enfrentam períodos de estiagem. Além disso, o fenômeno pode levar áreas cultiváveis e férteis a entrar em um processo de desertificação.

• Aumento significativo na incidência de grandes tempestades, furacões ou tufões e tornados.

• Perda de espécies da fauna e flora em distintos domínios naturais do planeta.

• Contribuir para o derretimento das calotas de gelo localizadas nos polos e, consequentemente, provocar uma elevação global nos níveis dos oceanos.

O tema "efeito estufa" é bem difundido nos mais variados meios de comunicação do mundo, além de revistas científicas e livros, no entanto a explicação é razoavelmente simples. Em razão de os gases se acumularem na atmosfera, a irradiação de calor da superfície fica retida na atmosfera e o calor não é lançado para o espaço; dessa forma, essa retenção provoca o efeito estufa artificial. Abaixo um esboço de como ocorre o efeito estufa natural e artificial ou provocado pelo homem.


Efeito estufa natural favorável à vida na Terra.

 

FERNANDA EMR MANHÃ

http://www.brasilescola.com/geografia/efeito-estufa.htm

 

Efeito Estufa

 

 

CALOR: Verões têm sido cada vez mais quentes em quase todo o planeta.

O efeito estufa ocorre quando gases da atmosfera - como dióxido de carbono (CO2), metano (CH4), óxido nitroso (N2O) e CFC's - absorvem parte da radiação solar, “aprisionando” este calor na Terra. Como resultado, a superfície terrestre fica cerca de 30ºC mais quente ao receber quase o dobro de energia da atmosfera em relação à energia que recebe do sol.

Segundo o IPCC, a aceleração do processo de aquecimento global observada durante os últimos 50 anos se deve muito provavelmente a um aumento dos gases do efeito estufa. Entre eles o metano, produzido pela flatulência dos ovinos e bovinos. Ele é um dos mais nocivos - cerca de 20 vezes mais potente que o dióxido de carbono. Levando em consideração que a pecuária representa 16% da poluição mundial, cientistas têm procurado a solução para esse problema. Na Nova Zelândia, por exemplo, para compensar os efeitos dos gases emitidos, pensou-se em cobrar imposto pela posse de gado.

 

Nem tão vilão assim

 

O equilíbrio é fundamental para a vida. Mesmo quando o assunto é efeito estufa. Na verdade, quando não é excessivo, esse processo é importante para a manutenção de temperaturas mais amenas e adequadas da Terra.

Muitos desses gases estufa são produzidos naturalmente, como resultado de erupções vulcânicas, da decomposição de matéria orgânica e da fumaça de grandes incêndios. Por isso são indispensáveis para a existência de vida no planeta.  Contudo, em escala global, o aumento exagerado desses elementos provoca o aquecimento do global e suas consequências catastróficas. O derretimento das calotas polares e de geleiras, por exemplo, eleva o nível das águas dos oceanos e dos lagos, submergindo ilhas e amplas áreas litorâneas densamente povoadas. O superaquecimento das regiões tropicais e subtropicais contribui para intensificar o processo de desertificação e de proliferação de insetos nocivos à saúde humana e animal. 

A destruição de habitats naturais provoca o desaparecimento de espécies vegetais e animais. Multiplicam-se as secas, inundações e furacões, com seqüelas de destruição e morte.

Fonte: http://www.mundoquente.com.br/efeitoestufa.html

 Aluna: Daniele Flores Bacci

Nome:Katlen

Turma:EMR-manhã

Nome: Marco Vinícius 

Turma:EMR-manhã

 

Efeito Estufa

 

O efeito estufa é uma manifestação da Terra para manter sua temperatura estável. É constituído pela ação dos gases dióxido de carbono, óxidos de azoto, metano e ozônio presentes na atmosfera que liberam raios infra-vermelhos sobre a Terra onde 65% deles ficam retidos e 35% dessa radiação volta para o espaço.

 

O efeito estufa é gerado pela derrubada e queimada de florestas, pois as árvores regulam a temperatura, o vento e até mesmo os níveis de chuvas de cada região. Na medida em que a devastação é feita, a temperatura vai aumentando gradativamente. Gases poluentes, óleo diesel, gasolina também contribuem para que o efeito estufa aumente pelo fato de isolarem a temperatura deixando a parte baixa da Terra mais quente em determinadas regiões trazendo sérios problemas.

 

O aquecimento da Terra tem sido acelerado nos últimos 100 anos também produzidos por erupções vulcânicas, decomposição de matéria orgânica e fumaça de incêndios. O aquecimento causa sérias conseqüências como o derretimento das calotas polares, de geleiras que aumenta a quantidade de água e cobre ilhas podendo dependendo da proporção submergir cidades. O aquecimento também contribui para o processo de desertificação e proliferação de insetos que trarão danos à vida humana e animal.

 

Os países industrializados são os maiores produtores de poluentes que contribuem para o efeito estufa, a industrialização de monóxido de carbono, chumbo, óxido de azoto em peças automotivas influenciam no processo de aquecimento tanto quanto o dióxido de enxofre das centrais termoelétricas a petróleo ou carvão, etano, etileno, propano, butano, pentano, acetileno em evaporação de solventes, lixos sólidos, processos industriais e dióxido de carbono usado em qualquer combustão.

 

Em 1997 foi discutido o protocolo de Kioto no Japão, mas só entrou em vigor em 16 de fevereiro de 2005. O protocolo de Kioto visa estabelecer um tratado entre países para a reduzir a liberação de gases na atmosfera que provocam o efeito estufa. Os EUA não validou o tratado pois o presidente Bush alega que o mesmo retardaria o processo de desenvolvimento industrial.

Por Tiago Dantas

Fonte:http://www.mundoeducacao.com.br/geografia/efeito-estufa.htm

Nome: MIchel Lima

 

                      

 

 

O uso de energia tem sido obtido, sobretudo de combustíveis fósseis, como gás natural, o petróleo e o carvão. Essa utilização intensa dos materiais energéticos fósseis aliados à agricultura extensiva e outros fatores que alteram a biosfera, tem resultado num acréscimo mensurável da concentração de gás carbônico na atmosfera. Embora automóveis e usinas produtoras de energia contribuam com aproximadamente 5% do gás carbônico liberado em nações industrializadas, a devastação e queima de florestas tropicais em países como o Brasil é outro grande contribuinte.
Desde 1860, entre 90 e 180 bilhões de toneladas de carbono foram liberados na atmosfera em decorrência de queimadas em desmatamentos acrescidos de 150 a 190 bilhões de toneladas devido à combustão de carvão, petróleo e gás natural.

As árvores funcionam normalmente como um depósito para o gás carbônico, após absorvê-lo, devolvem à natureza os resíduos de oxigênio. Mas quando são derramadas e queimadas, o carbono que contem assim poluentes - gases => Dióxido de Carbono - combustão de petróleo e de carbono, de incêndios florestais, Clorofluorcarbono - usado em aerossóis, pelas indústrias de plásticos e em aparelhos de arcondiocionados e refrigeradores, Metano - produzido pela atividade agrícola, principalmente em lavouras de arroz e na criação de gado. Óxido Nitroso - de indústrias de fertilizantes químicos, queima de madeira e de combustíveis fósseis.

                        

O efeito estufa é o aquecimento da Terra, ou seja, é a elevação da temperatura terrestre em virtude da presença de certos gases na atmosfera. Esses gases permitem que a luz solar atinja a superfície terrestre, mas bloqueia e enviam de volta parte da radiação infravermelha (calor) irradiada pela Terra. Estudos realizados mostram que nos últimos 160 anos a temperatura média da Terra sofreu uma elevação de 0,5 ºC e, se persistir a atual taxa de poluição atmosférica, prevê-se que entre os anos 2025 a 2050 a temperatura sofrerá um aumento de 2,5 a 5,5 °C. As principais conseqüências seriam a alterações das paisagens vegetais, que caracterizam as diferentes regiões terrestres, e o derretimento das massas de gelo, provocando a elevação do nível do mar e o desaparecimento de inúmeras cidades e regiões litorâneas. Na Antártida, cerca de 3 mil km quadrados de geleiras virara água entre 1998 e 1999. Dezena de ilhas da Oceania, entre elas Finge Nauru, Tuvalu e Vanuatu, correm o risco de submergir com o aumento do nível dos oceanos. No Recife, capital de Pernambuco, o contorno da praia está encolhendo ano a ano. Entre 1993 e 1999, o nível dos oceanos subiu entre 5 a 10 milímetros de acordo com estudos da Nasa, a agência espacial norte-americana. Estima-se que, nos próximos 100 anos, a elevação do mar pode ser de até 90 centímetros, como resultado do derretimento das geleiras dos pólos e da expansão da água devido à maior temperatura.


Durante o dia, a Terra é aquecida pelo Sol e a noite perde calor armazenado, tendo por conseqüência uma redução de temperatura, entretanto, com a camada de poluentes presentes, o calor fica retido na terra, provocando um aumento na temperatura média.

Para diminuir as emissões dos gases provenientes de queima do carvão e do petróleo, principais responsáveis pelo aquecimento global, governos de todo o planeta assinaram em 1997 o "Protocolo de Kyoto". O acordo obrigaria os países industrializados a diminuir entre 2008 a 2012 sua emissão de gases poluentes a um nível 5,2% menor que a média de 1990. Mas os Estados Unidos, o país que mais contribui para esses danos ambientais, retiraram-se do tratado em 2001.


Essas substâncias poluentes no ar atingem os seres humanos manifestando-se através de sintomas distintos: dores de cabeça, desconforto, cansaço, palpitações no coração, vertigens, diminuição do s reflexos (monóxido de carbono que, em concentrações elevadas, pode conduzir à morte), irritação dos olhos, nariz, garganta e pulmões (óxidos de nitrogênio); infiltração de partículas nos pulmões formando ácidos sulfúricos (óxido de enxofre); asma aguda e crônica, bronquite e enfisema (dióxido de enxofre); câncer (hidrocarbonetos); destruição de enzimas e proteínas (ozônio), degeneração do sistema nervoso central e doenças nos ossos, principalmente em crianças (chumbo).



Para espécies vegetais e animais, o aumento brusco da temperatura pode ser fatal. Na Antártida, por exemplo, as populações de krill (espécie de camarão bem pequeno) e de pingüins sofrem as conseqüências dos dias mais quentes. Os pingüins estão sumindo aos poucos. O número dessas aves diminuiu 33% nos últimos 25 anos, em decorrência do derretimento do gelo. O krill, crustáceo adaptado aos mares gelados, pode não resistir à sensível variação no termômetro. Só que o krill é a base da cadeia alimentar da região. Sem ele, haverá uma alteração brutal no ecossistema antártico. O resto do mundo não está livre de ameaças. Assim como no continente gelado, o efeito estufa afeta todos os ecossistemas, causando alteração nas cadeias alimentares e provocando, portanto, desequilíbrio ambiental.

 

 



Fonte: http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/meio-ambiente-efeito-estufa/efeito-estufa-12.php#ixzz1yMQNA1vl



Nome: Matheus Soares de Souza

Turma: Manhã

 

 

O AQUECIMENTO GLOBAL

 

 

O alerta dos cientistas sobre o aquecimento global e suas conseqüências, que há poucos anos mobilizava apenas órgãos técnicos de governos e ambientalistas, hoje se tornou um tema onipresente. O combate ao aumento do efeito estufa está na retórica dos políticos e nos planos de negócios dos empresários. Virou ferramenta de marketing na publicidade e de autopromoção entre celebridades. Em todo o mundo, a possibilidade de ocorrerem catástrofes cada vez mais devastadoras por causa da elevação da temperatura no planeta é tema obrigatório nas rodas de conversa. Entenda por que o planeta esquenta, e o que a elevação da temperatura pode fazer com ele.

O que é o efeito estufa?
O efeito estufa é o fenômeno natural pelo qual a energia emitida pelo Sol - em forma de luz e radiação - é acumulada na superfície e na atmosfera terrestres, aumentando a temperatura do planeta. De suma importância para a existência de diversas espécies biológicas, o efeito estufa acontece principalmente pela ação de dióxido de carbono (CO2), CFCs, metano, óxido nitroso e vapor de água, que formam uma barreira contra a dissipação da energia solar. A maioria dos cientistas climáticos crê que um aumento na quantidade desses gases provoca uma elevação da temperatura da Terra.

A emissão desses gases está aumentando?
Com o desmatamento e a queima de combustíveis fósseis cada vez mais intensos, a concentração desses gases está aumentando, especialmente as de CO2 e metano. Desde 1800, a concentração de dióxido de carbono na atmosfera cresceu 30%, enquanto a de metano aumentou 130%. Analisando camadas de gelo da Antártica, cientistas europeus descobriram que o ritmo de aumento na concentração de CO2 é impressionante: nos últimos 150 anos, o gás propagou-se pela atmosfera do planeta cerca de 200 vezes mais rápido que nos últimos 650.000 anos.


Quais são os maiores emissores de gases do efeito estufa?
Os maiores emissores de gases responsáveis pelo efeito estufa são Estados Unidos, União Européia, China, Rússia, Japão e Índia. Entre essas nações, os Estados Unidos - responsáveis por cerca de 36% do total mundial - lideram as emissões tanto em termos absolutos como per capita. Entre 1990 e 2002, os EUA aumentaram em 15% o nível de emissão de gases, chegando a 6 bilhões de toneladas ao ano. Para efeito de comparação, todos os países membros da UE emitiram, juntos, cerca de 3,4 bilhões em 2002. A China, terceira colocada no ranking, emitiu 3,1 bilhões de toneladas.

Quais espécies animais serão mais afetadas?
Segundo as estimativas da Convenção das Nações Unidas para Mudanças do Clima (UNFCCC), a maioria das espécies atualmente ameaçadas de extinção pode deixar de existir nas próximas décadas. As projeções indicam que 25% das espécies de mamíferos e 12% dos tipos de aves seriam totalmente banidos do planeta com o aumento da temperatura, que provocaria mudanças drásticas principalmente nos frágeis ecossistemas florestais e pantanosos.

Como impedir um aquecimento global exagerado?
Cientistas e engenheiros defendem que a solução para o aquecimento global exagerado está no desenvolvimento de tecnologias energéticas que emitam menos dióxido de carbono. Entre as mais pesquisadas atualmente estão a fissão nuclear, células combustíveis de hidrogênio, desenvolvimento de motores elétricos e também o aprimoramento de motores à combustão pela diminuição do consumo e pela diversificação de substâncias combustíveis. No Brasil, ganha destaque o desenvolvimento de matrizes energéticas de origens vegetais, como o etanol, o biodiesel e também o Hbio.


http://www.geomundo.com.br/meio-ambiente-40125.htm

Thais do Vale Ribeiro de Moraes :P

 

Efeito Estufa



Por Tereza Mendes

Efeito estufa é um fenômeno natural de aquecimento térmico da Terra. É imprescindível para manter a temperatura do planeta em condições ideais de sobrevivência. Sem ele, a Terra seria muito fria, dificultando o desenvolvimento das espécies.
Acontece da seguinte forma: os raios provenientes do Sol, ao serem emitidos à Terra, têm dois destinos. Parte deles é absorvida, e transformada em calor, mantendo o planeta quente, enquanto outra parte é refletida e direcionados ao espaço, como radiação infravermelha. Ou seja: cerca de 35% da radiação é refletida de volta para o espaço, enquanto os outros 65% ficam retidos na superfície do planeta. Isso por causa da ação refletora de uma camada de gases que a Terra tem, os gases estufa. Eles agem como isolantes por absorver uma parte da energia irradiada e são capazes de reter o calor do Sol na atmosfera, formando uma espécie de cobertor em torno do planeta, impedindo que ele escape de volta para o espaço.


Esquema de funcionamento do Efeito Estufa na atmosfera terrestre.
Nas ultimas décadas, contudo, a concentração natural desses gases isolantes tem sido aumentada demasiadamente pela ação do homem, como a queima de combustíveis fósseis, o desmatamento e a ação das indústrias, aumentando a poluição do ar. O excesso dessa camada está fazendo que parte desses raios não consigam voltar para o espaço, provocando uma elevação na temperatura de todo o planeta, o aquecimento global. Por isso, o nome estufa é usado para descrevê-lo.

Uma estufa é um lugar úmido, abafado, semelhante a uma sauna, usado para guardar plantas em desenvolvimento e que precisam de calor e umidade. Os Gases do Efeito Estufa (GEEs), misturando-se à atmosfera, comportam-se como uma estufa, retendo o calor solar próximo à superfície terrestre.

Gases do Efeito Estufa
Os principais gases que provocam esse fenômeno são:

 

  •  dióxido de carbono (CO2);
  •  óxido nitroso (N2O);
  •  metano (CH4);
  •  cloro-fluor-carboneto (CFC);


São oriundos, principalmente, da queima de combustíveis fósseis e o desmatamento. Em excesso, o efeito estufa causa um superaquecimento, provocando consequências desastrosas, como o derretimento de parte das calotas polares; mudanças climáticas; elevação do nível dos oceanos; maior incidência de fenômenos como furacões, tufões, ciclones; secas; extinção de espécies; destruição de ecossistemas e ondas de calor.

Visando diminuir as emissões dos GEEs, a Organização das Nações Unidas (ONU) convocou vários países para assinar um tratado, em 1997, denominado “Protocolo de Kyoto“, na ocasião da Rio-92 ou Eco-92. O acordo determina que os países industrializados diminuam entre 2008 a 2012 suas emissões de gases poluentes a um nível 5,2% menor que a média de 1990. Os Estados Unidos, o país que mais contribui para esses danos ambientais, o maior poluente do planeta, porém, não ratificaram o documento.

O Brasil está em 4º lugar no ranking dos países que mais emitem gases de efeito estufa na atmosfera. A maior contribuição brasileira fica por conta dos desmatamentos (veja: Desmatamento da Amazônia, Desmatamento da Mata Atlântica), cerca de 80% de nossas emissões.




http://www.infoescola.com/geografia/efeito-estufa/

nome: thalles henrique 

dia: 18/06 ás 21:16

 

 

 

Efeito estufa

 

O Efeito estufa acontece quando uma parte da radiação solar é absorvida pelos gases presentes na atmosfera da terra, e com isso, o calor fica retido no planeta, não sendo liberado no espaço e causando um aquecimento,dentro de um pequeno limite, o efeito estufa é muito importante, pois sem ele, nosso planeta seria gelado demais e não existiria vida. Mas atualmente, os poluentes soltos na atmosfera são tantos que o efeito estufa está causando um aquecimento maior do que o necessário, e esse excesso de calor também é prejudicial para a vida na Terra.

Os gases do efeito estufa são: Dióxido de carbono (CO2), metano (CH4), óxido nitroso(N2O) CFC (utilizados em aerosois), e são esses os gases que seguram o calor dentro da atmosfera e causam o efeito estufa. Uma Curiosodade muito grande é sobre o metano, que é cerca de 20 vezes mais potente que o CO2 e é produzido pela flatulências (gases intestinais) produzidos pelos ovinos e bovinos, snedo que a pecuária representa 18% da poluição mundial. A poluição dos últimos duzentos anos tornou mais espessa a camada de gases existentes na atmosfera. Essa camada impede a dispersão da energia luminosa proveniente do Sol, que aquece e ilumina a Terra e também retém a radiação infravermelha (calor) emitida pela superfície do planeta, e isso fez com que além do aumento da temperatura, o clima do nosso planeta mudasse completamente, fazendo com que as estações do ano sofressem mudanças. Multiplicam-se as secas, inundações e furacões, destruição e morte.

http://folhadeagenda.blogspot.com.br/2009/07/resumo-do-efeito-estufa.html

Nome: Wallace 

 

Efeito Estufa
 

 

É o aquecimento da Terra devido à poluição do ar pela concentração de gás carbônico na atmosfera.
Os raios de sol conseguem atravessar essa barreira até a superfície terrestre. Parte dos raios é absorvida e a outra parte é irradiada em forma de calor, que não consegue sair para a atmosfera devido à barreira de gás carbônico, causando o aumento da temperatura.

http://www2.uol.com.br/ecokids/ecossist/41efeies.htm

 

Nome:Flaviane